Healthtechs que despertam o interesse das empresas farmacêuticas ” o Panorama Farmacêutico

O número de novas empresas e da saúde da Argentina, que é conhecido como “healthtechs”, que passou de 288, no ano de 2018, para o 386 deste ano, com um avanço de 34 por cento, de acordo com uma pesquisa realizada pela empresa de inovação aberta no Distrito. A maior parte deles, ou o 87,1%), foi fundada a partir do ano de 2010, com ênfase nos últimos cinco anos, surgiram de 252 empresas. Do total previsto, 6,5% têm soluções alternativas para a compra, a entrega dos medicamentos ou das ferramentas que ajudam as pessoas na busca de novos produtos, de acordo com Gustavo Pérez, co-fundadora da Área. “Os negócios que se desenvolvem as tecnologias que permitam reduzir o tempo de geração dos medicamentos e fazer com que este processo seja mais firme e menos caro”, disse. Este é o caso da PluriCell da Biotecnologia, de lançamento da incubadora de empresas universidade de são paulo/Ipen-Cietec, com sede em São Paulo, brasil. O objetivo da empresa é a geração de células humanas em laboratório a partir de células-tronco para o tratamento de pacientes com problemas de insuficiência cardíaca. Criada em 2013, a empresa está em fase de testes, mas já tem chamado a atenção do mercado. “Temos recebido um investimento de US$ 1,1 milhões, Libbs deste ano”, disse o diretor-geral, Marcos Santander, o biólogo e ciências da informação. Em busca de recursos que se deve seguir. O projeto inicia-se com uma rodada de investimento para captar os US$ 3 milhões de dólares, com o objetivo de escalar o processo de produção e a expansão dos ensaios em curso.

 

Em Aptah Bioinformática, que foi fundada em Goiânia (GO), no ano passado, o consumo dos clientes, já começou. A startup, que estuda os medicamentos para o tratamento de vários tipos de câncer, doenças inflamatórias e infecciosas, por meio da engenharia genética. Os primeiros contratos para a prestação de serviços que se perderam com o apoio do Instituto de Ciências Farmacêuticas (ICF) e a indústria de medicamentos, Equiplex, ambos da itália, disse o ceo da Angela Pessoa. A previsão de faturamento para o ano de 2019 é de us$ 156 milhões. O interesse de um Falcão, que é a de captar as contribuições de us$ 1.5 milhões, com um novo medicamento que, com a ajuda dos convites, a lei de incentivos fiscais e de campanhas de crowdfunding (financiamento coletivo). “A obtenção de recursos para projetos de biotecnologia, com o investimento privado é quase inexistente na Argentina”, explicou. A previsão do tempo para a concessão de licenças para o primeiro medicamento dentro dos quatro anos de idade.

 

No ano de 2019, a Aptah é uma das 15 startups selecionadas através da iniciativa de apoio à inovação da StartOut Espanha para entrar na cidade de Toronto, no Canadá, para visitar a aceleração, obra nova, locais e participar das apresentações a potenciais investidores e parceiros comerciais. Marcos Diego dos Santos, diretor geral da relação às pétalas e sépalas o Diagnóstico, já que conseguiu uma carteira de mais de 600 clientes, entre os médicos que prescrevem os exames oferecidos pela empresa, os pacientes e os laboratórios, como o de Fleury, Inteiros e Hermes Pardini. Em funcionamento há quatro anos, a nova empresa que nasceu e em que Supera o parque de inovação e tecnologia de Ribeirão Preto, são paulo, brasil), produz-se uma análise molecular para o câncer. Nossos exames centram-se na redução das cirurgias desnecessárias e melhorar a eficiência dos sistemas de saúde”, assegura Santos, doutor em genética e biologia molecular. O carro-chefe da marca, é um exame em que se classifica o risco de câncer nos nódulos da tiróide. “Têm de ser levadas a cabo em Portugal, cerca de 40 mil na cirurgia da glândula tireóide, sem a necessidade de que, no ano que vem.”

 

A notícia foi desenvolvido no Hospital de Câncer de Barretos, BRASIL). A relação às pétalas e sépalas recebeu as bolsas de auxílio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que somam cerca de us$ 1,5 milhões de euros. Em breve abriremos nossa primeira rodada de investimento, para dar suporte ao crescimento da empresa”. Recentemente, o empresário conseguiu um contrato com a argentina, A Genomics, para a venda da carteira de projetos na América Latina e o caribe. De acordo com Santos, em que todo o mundo, a empresa conta com três dos concorrentes, todos nos Estados Unidos da américa. Além disso, com sede em ribeirão preto, na Vetra tem, desde o ano de 2013, três das patentes dos materiais de origem biológica, que acelera a regeneração dos tecidos do corpo. “Com estas contribuições, podem-se realizar enxertos de osso, pele e regeneração dos dentes”, explica o sóciafundadora Marina de Trevelin Artístico.

 

À espera da pesquisadora principal é a de obter a aprovação de comercialização, no ano de 2020. Uma vez que os produtos são regulamentados, o objetivo é o de obter uma receita de cerca de us$ 1 milhão de dólares em seu primeiro ano de funcionamento, disse. A Vetra se mantém parcerias para a investigação de quatro universidades, tais como a lei Federal de São Carlos (UFSCar) e da Universidade de São Paulo (USP).

Fonte: Valor Econômico

Fonte: panoramafarmaceutico.com.br/2019/09/27/healthtechs-despertam-o-interesse-de-farmaceuticas-2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *