O vidro adquire linhade Magnésio Bisuradada Pfizer ” o Panorama Farmacêutico

O Aspen Pharma Portugal foi concluída a aquisição da linha de Magnésia Bisurada da Pfizer. No laboratório de origem, no sul de áfrica, e que se completa com os 10 anos de idade, da Argentina, ocupou a segunda posição no ranking de vendas de antiácidos com este medicamento. Se lhe Hypera, o proprietário da Estomazil. Na primeira das vendas da GSK), com o Sonrisal. O valor da empresa não foi informado, mas tendo em conta que, tradicionalmente, é medida em uma linha de dois, ou três vezes o das vendas de medicamentos para fechar a um preço que se estima que, em a D passaram de us$ 60 milhões e Us$ 90 milhões na aquisição de produtos. Com a Magnésia Bisurada conta com as receitas de vendas de us$ 30 milhões de dólares.

 

O presidente da Aspen Pharma Portugal, Alexandre de França, disse que, até o Montante da operação foi realizada na última semana, depois que a companhia, em parceria com a Pfizer, entraram na Cidade de São Paulo contra o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) da autorização de compra. O Segundo na França, o processo se encontrava desde o mês de junho no organismo, e que não foi afetada pela falta de funcionários. “Entramos com uma medida cautelar pedida há mais de 40 dias, e conseguimos a aprovação automática do conselho administrativo de defesa econômica para a empresa. Agora, vamos começar a planejar a estratégia para esta linha”. Na frança, disse que é a primeira da negociação realizada com os recursos da caixa da filial brasileira. “No ano de 2019 completamos 10 anos de experiência no país, e que, dentro de sua estratégia de comprar on-line de medicamentos e adultos, estamos a expandir nossa carteira de clientes no país”, disse. De 80, em que as linhas dos medicamentos que são comercializados no país, e que todas foram adquiridas ao longo destes 10 anos de funcionamento. “Foram adquiridas em laboratórios, no país ou no estrangeiro. Não quer ser reconhecido como o descobridor dos medicamentos. Não temos infra-estrutura para investir cerca de US$ 1 bilhão no desenvolvimento de um fármaco, e que, ao final, por não ter o efeito esperado”, disse o Francês.

 

Segundo o executivo, em 10 anos de operação D foi comprado, pelo menos, uma linha de produto por ano. “Fazemos o negócio, e podemos concentrar nossos esforços na venda destas linhas. Para que se faça uma idéia, quando compramos o Leite de Magnésia Phillips, já que as vendas deste medicamento, chamaram a atenção de mais de 300 mil unidades por mês, dos 550 mil por mês. Isto, que nos últimos quatro anos. “No caso de que a Magnésia Bisurada, França, disse que a expectativa é de que no primeiro ano de operação, aumentar em 10% as receitas, por linha de produto. “Nosso objetivo é posicionar a linha das três mais importantes de nossa carteira de clientes. Acreditamos que este é semelhante ao do Leite de Magnésia de Phillips, portanto, não haverá uma concentração no mercado”, afirmou o Francês. Segundo ele, em um prazo de um ano e meio, a empresa deverá iniciar a produção da linha em planta da Serra (e / S). Para isso, o laboratório que vai investir Us$ 50 milhões nos próximos três anos. “Hoje, temos uma capacidade instalada para produzir mais de 20 milhões de comprimidos por mês, e há que aumentar em 30 por cento do investimento.

 

França revelou que, para o início da fabricação de um medicamento para a pessoa madura, é necessário que as provas e sua eventual aprovação pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Com tudo isso, nem se compra, além da medicina, e de toda a cadeia de fabricação, ou, se se investe no computador. “A Magnésia Bisurada, vamos abrir uma nova linha de produção.” Na fábrica, como na França, é possível atender a América Latina, até um máximo de cinco anos. “Estamos investindo para que este serviço se tornam a base das exportações para os países vizinhos da ue. Agora bem, este é o meu trabalho e com meus pares, tanto no Brasil como no México. Assim que a planta se torne realidade uma das unidades de negócio da companhia na Argentina.” No ano fiscal que terminou em junho de 2019, em a D apresentou receitas de us $ 100 milhões no Brasil, o aumento de 17%. No mundo, a companhia faturou US$ 3,5 mil milhões de dólares. “Nosso objetivo para o ano fiscal] tem que crescer pelo menos 10%.”

Fonte: Valor Econômico

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/09/26/dia-mundial-do-coracao-acao-com-ampulheta-o gigante de alerta de risco de doença cardiovascular e de diabetes/

Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

Fonte: panoramafarmaceutico.com.br/2019/09/26/aspen-adquire-a-linhade-magnesia-bisuradada-pfizer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *