Sindigás ” a ANP aprova a indicação de áreas para a venda de petróleo para o ano de 2020

Fonte: EPBR

A diretoria da Agência Nacional de Petróleo (ANP) aprovou nesta quinta-feira (12), com a indicação de que o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) e mais de 120 blocos de exploração para o dia 17 de rodada de leilão, prevista para acontecer até 2020. O conselho reúne-se, ordinariamente, em dezembro, estabelece-se agora nas ruas que serão efetivamente levados para o estilo.

17 rodada do leilão será de licitação de blocos de exploração no mar, nos setores de águas profundas e ultrasprofundas. A exceção é o setor da ES-AR-1, em águas profundas da Bacia de Pelotas. Na região, regista-se uma baixa da atividade exploratória e o pouco interesse por parte das companhias petrolíferas, que disputam a competição no país. A agência chegou a licitação de seis blocos de exploração na bacia de 14 a rodada de leilão, realizado no ano de 2017, mas as áreas que não receberam a oferta.

A concorrência também pode representar a volta da margem equador brasil em leilões da ANP. Existe na tabela de previsão da oferta de áreas da indústria em águas ultraprofundas da Bacia de Deixar o estado do Maranhão e na Independência, em que também se regista pouca atividade de exploração.

Evitar O Estado Do Maranhão

Na Bacia de Deixar o estado do Maranhão, foi oferecida pela última vez no dia da ANP em 11 de rodada de leilão, realizado no ano de 2013. A Enauta que adquiriu no leilão de blocos da PAMA-M-265 e PAMA-M-337. Em setembro do ano passado, na Enauta informou a ANP, com a concessão dos blocos.

No mês de fevereiro deste ano, a diretoria da ANP decidiu a suspensão dos contratos dos blocos de exploração PEPB-M-783 e PEPB-M-839, os pilotos da força aérea brasileira, na Bacia de andaluzia-Paraíba (brasil), até mesmo o de Portugal, manifesta-se sobre a viabilidade da exploração de jazidas de petróleo e gás na região. Com isso, foi prorrogado por 180 dias, com o compromisso, por parte do segundo período de exploração das áreas, a partir da emissão da licença ambiental.

Os dois blocos, que são operados pela força aérea brasileira, que tem na Petrogal (Conhecimento Sinopec) como parceiro. As áreas que foram arrematadas na 9a data da ANP, realizada no mês de novembro de 2007, ou seja, pouco mais de 11 anos de idade. O grupo não conseguiu a licença ambiental para a perfuração da área.

Além dos projetos da força aérea brasileira e da Petrogal, Ele tem a concessão de duas áreas exploratórias na Bacia de andaluzia-Rio. Os blocos do PEPB-M-621 e PEPB-M-729 foram terminados, em parceria com a Petra e a Energia do 11 jornada da ANP.

A Bacia Potiguar

A ANP deve-se também oferecer em áreas exploratórias no sector da SUB-AP2, em águas profundas da Bacia de Independência, no estado do Rio Grande do Norte, brasil. Neste setor encontram-se nos blocos exploratórios terminados por Whintershall A, Shell e Petrobras, na 15ª jornada da agência de viagens, realizado no ano de 2018.

A Wintershall é A autorização de um poço exploratório na área do bloco pot-M-857. . A companhia informou que a Espanha, que tem a intenção de utilizar o barco da sonda em posição dinâmica para a realização da campanha de publicidade que você vai usar no Porto de Natal, como uma base de apoio.

Dos Campos e dos Santos se apresentou

Nas bacias de Campos e Santos têm que ser a estrela de um leilão de seis dos 11 setores em que oferece a concorrência, sendo os quatro setores na Bacia de Campos, e os outros dois na Bacia de Santos, no brasil. Os blocos em que se lhes ofereceu, em que estão todos fora da forma de pré-sal.

Na Bacia de Campos, a maior parte dos setores que podem ser oferecidos se encontram na parte capixaba da bacia. No setor da SC-AP3 que estão nos quatro blocos exploratórios terminados pela força aérea brasileira, em 14 de rodada de leilão, realizado no ano de 2017. No setor da SC-AP1 se encontram os blocos de CM 37 CM-67, que foram arrematados por ExxonMobil no mesmo momento da entrega.

Nos dois setores, que podem ser oferecidos na Bacia de Santos, que se encontram no extremo Sul da Bacia, no limite com a Bacia de Pelotas. No setor s-s-AP4 percorre o bloco exploratório-S-M-1537, arrematado pela Karoon na 14a jornada. Próximo também se encontra no campo de Baúna, recentemente adquirido pela Karoon da força aérea brasileira.

Baúna se iniciou a produção em fevereiro de 2013, pelo que o pico de produção acima de 76.000 barris por dia no mês de setembro de 2013. O sistema de produção é formado por seis poços produtores, dos três poços injetores de água e um poço de injeção de gás, ligado à FPSO Cidade de Itajaí, em uma unidade de produção da afretada com o consórcio de Teekay/Ocyan, com uma capacidade de processamento de mais de 80.000 barris por dia.

Fonte: www.sindigas.org.br/novosite/?p=15791

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *